O supressor de som - ou silenciador, como alguns gostam de chamar, é um acessório que se coloca nas armas de fogo, a frente de seu cano, para abafar o estampido resultante do disparo.

O inventor americano Hiram Percy Maxim, filho do inventor da arma Maxim, Hiram Stevens Maxim, leva o crédito de inventar e vender o primeiro silenciador de sucesso comercial por volta de 1902. Maxim deu a seu dispositivo o popular nome de marca registrada "Maxim Silencer".

Quando uma arma é disparada os sons que ouvimos são os, I - da espoleta percutindo, II - do ferrolho se movimentando à retaguarda, III - o do projétil quebrando a barreira do som e IV - da explosão na boca do cano.

Para conseguirmos um bom resultado quando usamos supressores bélicos, primeiro temos que ter um equipamento de qualidade, com câmaras suficientes para dissipar os gases que saem do cano, a matéria prima escolhida deve ser da mesma de excelente qualidade e para sua feitura, se ele não for industrial, deve ser dispensado o devido cuidado e experiência.


Confeccionar um supressor não é tarefa fácil! Certa feita, um amigo meu que mora no Texas encomendou um supressor artesanal para uma pistola, além de não abafar o som do disparo da forma esperada a arma não ciclava, ou seja, o equipamento não atendia ao propósito para o qual foi feito.

Minha esposa Sargento @rhainnaiannari
no comando do fuzil.

O cuidado com a escolha da munição também ajudará no controle do som, por isso ela deve ser uma munição subsônica - que não quebra a barreira do som, assim como a usada no vídeo acima, que é o calibre .300 BLK. Tivemos a excepcional experiência de conhecer a fábrica da Sig Sauer nos Estados Unidos, local onde testamos várias armas desta renomada fabrica de armas de fogo e supressores de som, dentre vários outros acessórios e equipamentos bélicos.


O terceiro ponto a ser vigiado é o mais complexo, "silenciar o ferrolho". Algumas armas usadas em operações especiais possuem um sistema de retenção do ferrolho, impedindo-o de ciclar quando a arma é disparada, ou seja, a pistola realiza um tiro e não recarrega. Para que ela esteja pronta novamente para o disparo o operador deve fazer a manobra de carregamento manualmente, a fim de conduzir a munição à câmara da arma e deve repetir essa operação para cada disparo que desejar fazer. Quando o operador precisar do sistema semiautomático, inerente da pistola, basta apenas desabilitar o sistema "silenciador de sentinelas".

Infelizmente meus assentamentos mentais não lembraram o nome correto da pistola em comento. Caso você o saiba o nome dela, coloque nos comentários e ajude-me a dormir hoje! 🤔


Por último devemos nos atentar para a explosão na boca do cano, que é a onda de choque gerada por gases de alta pressão que escapam e se expandem após o projétil sair do cano. Esse estrondo é fisicamente semelhante ao som que ouvimos ao estourarmos um balão, daqueles de festa de aniversário. O encontro das pressões diferentes dos gases que estão no interior da bexiga e da mesma forma, no interior do cano da arma, com a pressão externa gera o som estrondeante.

É somente nesta última parte do dessecamento do som que sai de uma arma de fogo, a explosão na boca do cano, que o supressor pode exercer ação.


A arma que utilizei no primeiro vídeo é um fuzil (carabina) NCX da Sig Sauer, calibre .300 AAC Blackout, na configuração subsônica, com um supressor de ruídos integrado, também da Sig e como o ferrolho de uma carabina é mais silencioso que o de uma pistola - afirmação minha, o resultado na supressão da intensidade acústica do disparo é impressionante.


Chamamos de supressor integrado aqueles que não podem ser separados da arma, pois ele está "integrado" ao corpo dela, como as pistolas da fábrica americana SilencerCo.


Existem vários tipos de supressores de som desenvolvidos para melhorar a performance de seu funcionamento na missão de diminuir o som de uma arma. Assim, temos os supressores de ruído de câmaras múltiplas, que se caracterizam pela existência de câmaras perpendiculares existentes ao longo do tubo que resfriam e retardam a saída dos gases para o exterior.

Temos também os supressores que possuem vários orifícios ao longo de seu corpo e a função destes furos é a mesma das câmaras, diminuir a velocidade e a temperatura dos gases ao sair do cano.


Outra função interessante dos supressores é que eles reduzem o flash de luz que sai do cano, ou seja, faz a mesma função de um "quebra chamas" mas faz também o papel de silenciar o tiro, habilidade esta que o quebra chamas não tem.


Alguns estudiosos dizem ainda que o supressor de som ajuda muito em diminuir o recuo da arma, principalmente desviando e prendendo o gás propelente. O supressor age como uma espécie de compensador, já que ele aumenta o tamanho total da arma, levando mais massa para a porção que fica após o cano e assim trabalha como um contra peso, segurando e estabilizando o "nariz" da arma. A massa adicionada pelo supressor, normalmente tem de 300 a 500 gramas, peso este importante para o controle do recuo.

Falando de calibres de pistolas de baixa velocidade, a redução do recuo é de cerca de 15%. Já com calibres de alta velocidade, a redução de recuo fica na faixa de 20–30%.

Os supressores de cano podem ser usados também em revólveres, mas com menos eficiência do em outras armas, isso se dá por causa do espaço que existe entre o tambor e o cano, onde os gases escapam antes de passarem pelo silenciador. Alguns modelos de revólver como o russo Nagant M1895 e o americano S&W QSPR, tentam melhorar esse ponto deficitário do revólver.


Silenciadores são particularmente úteis em espaços fechados onde o som, flash e efeitos de pressão de uma arma sendo disparada são amplificados. Esses efeitos podem desorientar o atirador, afetando a sua consciência situacional, concentração e a precisão, e podem danificar permanentemente a audição, além de acusar a posição do operador.

Quanto a questão legal sobre o uso ou proibição desde acessório Aqui no Brasil temos que primeiramente apontar a data atual, que é março de 2021, período em que aguardamos o fim da vacância legal de três decretos de nosso presidente Bolsonaro que irá possibilitar o uso de supressores de som para os CAC (caçador, atirador e colecionador) e para os ODA (Operador de Defesa Armada), mas até que eles entrem em vigor é proibido o uso de silenciadores aqui nas terras tupiniquins.


Claro que ainda existe um oceano de informações relacionadas aos supressores de ruídos bélicos. Esse breve artigo nunca conseguiria abarcar tudo que já se sabe sobre os silenciadores, este místico equipamento feito para usar sua arma de forma discreta e para preservar a sua audição e de seus companheiros de caçada.

Se você gostou do conteúdo inscreva-se em nosso Blog para receber em primeira mão as próximas publicações, será um prazer tê-lo como um leitor de nossas humildes divagações bélicas. 
.
. ♠️ SE VOCÊ TREINA ♠️
♠️ VOCÊ SALVA VIDAS ♠️
Tenente-Coronel Bruno 👊🗡🔫
==========================
⚠️ Siga @ten.coronel.bruno